Pesquisa
0
Seu carrinho está vazio :(
O que você está procurando?
x
Tecidos

Poliéster PET Reciclado

Publicado em 05.02.2021 |
15 visualizações

O poliéster é um dos componentes mais utilizados no vestuário em geral, tendo presença em cerca de 49% de todas as roupas fabricadas no mundo. Mas sabia que há uma tecnologia que é capaz de reutilizar 11 garrafas PET e transformar em 1 quilo de malha?

Isso mesmo que você entendeu, essa tecnologia consiste em reciclar o PET já disponível no mundo e criar Poliéster para uso na fabricação de roupas. Também conhecido com rPET, o poliéster reciclado é obtido através de um processo que derrete o plástico PET e transforma em fibra.

Para começar, é preciso entender que:

- Existem vários tipos de plásticos no mundo e o PET é um deles.

- O mesmo PET que produz a garrafa (que costumamos consumir refrigerante, água e etc) é o que produz o Poliéster.

O Poliéster

Conforme mencionamos, cerca de 49% de todas as roupas fabricadas no mundo são feitas de poliéster e esse número cresce a cada ano, já que o material se destaca pela resistência, elasticidade e custo. Roupas de academias e leggings em geral, por exemplo, são quase todas feitas 100% desse material. Porém, esse é um dado alarmante, já que ele é um produto feito de PET (polietileno tereftalato), um componente totalmente plástico (feito de petróleo) e um dos mais poluentes do planeta, onde deveríamos estar diminuindo o consumo.

Mais de 60% de todo o PET produzido no mundo vira poliéster, os 40% restantes ficam divididos entre as garrafas e afins. Isso mostra a representatividade dele na contaminação da água, do ar e dos oceanos. Pois ao ser lavado, as partículas de microplástico se desprendem e acabam indo para o esgoto, onde são levadas para o meio ambiente. O mesmo acontece quando há atrito de um membro do corpo com outro, quando a pessoa está vestida com roupa dessas fibras têxteis, isso já seria o suficiente para liberar as microfibras na atmosfera. Essa poeira de microplástico pode ser inalada ou ir para seu alimento, por exemplo.

Muitos pensam que isso tudo é muito superficial, já que estamos falando em “microfibras” não visíveis ao olho nu liberadas, mas a soma começa a ficar muito grande quando se observa o número desse material produzido no mundo inteiro.

Poliéster feito de PET reciclado

O poliéster reciclado é feito de materiais reaproveitados não-biodegradáveis que acabariam sendo jogados em rios ou aterros. O processo consiste em reciclar materiais plásticos, derreter e junto com outros ingredientes, formar o poliéster reciclado (rPET). Em comparação ao poliéster virgem, esse tem a mesma qualidade e exige 59% menos energia de acordo com um estudo do Ministério do Meio Ambiente Suíço feito em 2017. A WRAP (Waste and Resources Action Programme) também estima que a produção de rPET reduz em 32% a emissão de CO² em comparação ao poliéster virgem. Além disso a produção de rPET utiliza plásticos já existentes, extraídos do lixo produzido por nós, evitando a extração de mais petróleo bruto para produção de mais plástico.

Mas embora o assunto de reciclagem de materiais já existentes pareça ser muito obvio, há muitas controversas, e uma discussão bem grande sobre a utilização de poliéster rPET. Assim com o poliéster virgem, esse também libera microfibras, contribuindo também para a poluição dos mares e do ar. Outro ponto discutido é sobre a reciclagem desse material, pois tecidos mesclados com poliéster (reciclado ou não), são dificilmente recicladas, já que a separação desses materiais é quase impossível. Mesmo roupas 100% poliéster não pode ser reciclada para sempre, pois no processo mecânico (transformar uma garrafa de plástico em um poliéster, que não passa pelo processo tradicional de fabricação de fibras) as fibras podem perder sua força e qualidade e pode, portanto, acabar perdendo suas características. Ainda assim, essa é uma forma de reciclar materiais existentes, já que o aumento de resíduos de lixo é uma triste realidade. Dados de uma pesquisa divulgada pelo Fórum Econômico Mundial de Davos estima que haverá mais plásticos do que peixes nos oceanos em 2050.

A probabilidade de extinguir o poliéster é nula e falar que o poliéster de PET reciclado é a solução para os problemas desse mercado, seria uma mentira, porém essa criação é fruto de pensamentos super produtivos e que interessam a natureza e a quem preserva. Apesar de ainda não ser um método em que resolva todos os problemas de poluição, é o começo para tentar reeducar nossos hábitos e consumos.