Pesquisa
Minha Conta
Já possui cadastro? Acesse sua conta
Meus favoritos
0
Seu carrinho está vazio :(
O que você está procurando?
x
BLOG

Você sabe o que é ESG?

Publicado em 03.03.2021 |
34 visualizações

Já ouviu falar em ESG?

Dentre tantas notícias ruins do ano de 2020, podemos dizer que essa foi uma boa notícia que podemos celebrar. O ano que ficará marcado pela pandemia, também marcará o crescimento do ESG e preocupações de investidores com práticas mais sustentáveis no mercado de ações.

Práticas mais sustentáveis e socialmente responsáveis são temas antigos que são discutidos entre empresários, mas, há menos de um ano que isso virou parte do ambiente financeiro de verdade. O segmento “investimento responsável” já chega a US$31 trilhões, representando 36% do total de ativos financeiros sob gestão no mundo, segundo a Global Sustainable Investiment Alliance.

Talvez esse momento problemático de nossa história, tenha servido para abrir os olhos dos investidores e de todas as pessoas para os problemas climáticos extremos, como inundações, incêndios florestais e secas nos quais estamos passando. Isso fez com que o ESG crescesse com mais efeito nesse ano atípico. Já estava na hora e alguns comportamentos que existiam antes não são mais aceitos, agora as empresas precisam mostrar cada vez mais que são sustentáveis.

O que é ESG?

O ESG surgiu pela primeira vez em 2005, de uma iniciativa liderada pela ONU, no relatório “Who Cares Wins” (“Ganha quem se importa”). No ano em questão, 20 instituições financeiras se reuniram para formalizar diretrizes e recomendações sobre como incluir questões ambientais, sociais e de governança na gestão de ativos, serviços de corretagem de títulos e pesquisas relacionadas ao tema. Concluindo que, a incorporação desse novo tema nas empresas, gerava práticas mais sustentáveis e melhores resultados para sociedade e seu entorno.

O termo ESG vem do inglês, Environmental, Social and Governance, (na tradução para português: ambiental, social e governança). Essa prática adotada pelas empresas avalia dados das operações conforme seus impactos em três eixos da sustentabilidade: meio ambiente, o governamental, e o social. Sendo o critério de Meio Ambiente, como a companhia atua na gestão da natureza e do meio ambiente. O Social examina se a organização viola direitos humanos universais, monitorando as relações da empresa com os colaboradores, os fornecedores e as comunidades onde atuam. E a avaliação da governança sobre as práticas de gestão empresarial ligadas ao combate a corrupção.

A medida tende a trazer dados sobre o tratamento da empresa nas questões ambientais, sociais e governamentais, sob necessidade de mercado, onde pessoas e investidores estão cada vez mais se importando com essas questões. O índice é erigido sob a mesma base de valores pregados pelos dez princípios do Pacto Global para o desenvolvimento sustentável integral.

Embora o ESG já exista desde 2005, o momento turbulento e os problemas climáticos que estamos passando fez com que o movimento voltasse ao foco dos investimentos, porém ainda há muita dificuldade de extrair dados acertados sobre o ESG. Empresas mal intencionadas podem criar dados mentirosos e lançar as famosas Fake News para se aproveitar desse momento de crescimento do segmento.

A partir do momento que grandes empresas se comprometem com a transparência dos seus fundos de ação, isso significa um alerta para todas as empresas concorrentes, ou todo o mercado financeiro, que atendam aos impactos causados e adotem medidas mais conscientes, tanto na parte social, ambiental e corporativa em geral. Ignorar essa adaptação de mercado é dar chance ao azar e consequentemente ter que lidar com o descontentamento de seus próprios clientes, que estão cada vez mais comprometidos com o desenvolvimento sustentável antes de consumir produtos e serviços. Essas escolhas do público global afetam nas decisões dos investidores, que vão optar por investir em mercados onde o potencial de crescimento seja maior.

O tema ESG tratado acima e explicado de forma bem simplória, merece sim um pouco mais de atenção. Acreditamos que temos o dever de divulgar e informar cada vez mais pessoas e empresas das “novas” necessidades e novas adaptações para um crescimento de todos. O mundo necessita de pensamentos para o futuro e atitudes no presente. E além, precisamos de pessoas que tenham o poder de mudar o mundo, que é o caso de TODOS nós.